quarta-feira, 3 de outubro de 2007

New Yorker SEMPRE confiou






Desde 1925, a tradicional revista americana New Yorker aposta em ilustrações para suas capas.

As marcas registradas dessa revista são as capas, sempre elegantemente ilustradas, e a qualidade editorial.

A revista The New Yorker tem uma ampla audiência além da cidade de Nova Yorque devido à qualidade de seu jornalismo, sendo que dentro do meio jornalístico, a The New Yorker desfruta a reputação de possuir uma das melhores equipes de verificação de fatos e edição na indústria editorial.

A The New Yorker estreou em 21 de fevereiro de 1925. Foi fundada por Harold Ross, que desejava criar uma sofisticada revista de humor – em contraste à cafonice de outras publicações humorísticas da época. Durante os primeiros precários anos de sua existência, a revista se orgulhou de sua sofisticação.

A primeira capa da revista, com um homem de cartola observando uma borboleta através de um monóculo, foi desenhada por Rea Irvin, que também desenvolveu a fonte que a revista usa para seu logo e manchetes, ou seja, desde o primeiro número a revista optou em trabalhar exclusivamente com ilustrações.

As charges da The New Yorker têm uma reputação de serem um pouco burguesas, surreais algumas vezes incompreeensíveis. Um estereótipo que chegou a inspirar um episódio da sitcom Seinfeld. Contudo, as charges continuam muito populares, o que significa que há uma boa parcela dos leitores que as apreciam. Por outro lado, alguns cartunistas contemporâneos que desenham para a The New Yorker, como Roz Chast, quebram este modelo, usando humor acessível a qualquer leitor.

O mais importante para nós é ver que esse é apenas mais um grande exemplo de sucesso editorial em que a ilustração tem um grande papel.

Não é somente de grande reportagens que vive uma grande revista, mas também de grandes ilustrações.

Viram, senhores editores brasileiros?

2 comentários:

Hübner disse...

Flávio, não acredito! Essa ia ser meu próximo post. Te adiantou ... rs

joaopenna disse...

nó, muito bonita a terceira capa!
gostei demais